3 de dezembro de 2010

Há coisas que a gente esquece de se lembrar.


Estava folheando um livro,
cujo o qual nunca pensei ter lido.
Mas já na primeira página me surpreendeu,
havia um papel esquecido, cortado à mão
com uma pequena lista de lembranças que eu devia ter comprado,
mas nunca encontrei nenhum dos itens.
E o papel dobrado lá ficou.
Nas próximas folhas novas surpresas,
milhares de marcações à lápis
de frases marcantes que eu recordei.
E no último instante quando minhas mãos tocavam a capa para fecha-lo,
uma última surpresa, uma frase de minha autoria que dizia:
"Hoje descobri que não posso dormir sem um, Eu te amo, seu, e me faz tanta falta."
Datada em 22 de Junho de 2009.
Não havia mais surpresas no livro de poemas de Álvaro de Campos-Fernando Pessoa.
descansei o livro na estante,
depois papel e caneta,
Cá estou, 1 ano e 5 meses depois, deixando uma nova marca num velho livro.

Joice Inácio, 02 de Dezembro de 2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe algumas palavras aqui: