16 de maio de 2011

Venha quanto tempo quiser.


Depois vem o tempo, e cada dor parece não ter mais importância,
as feridas internas cicatrizam, e externas desaparecem com um sorriso,
os dias passam rápido e quase sempre esquecemos de viver.
E aqui nos escondemos durante anos nos enganando
com medo de ficar só, apostamos na solidão como companhia
e nos deparando com o medo dela todos os dias.
Vivemos refugiados, presos por seres humanos que não souberam amar
e caminhamos juntos pelo mesmo caminho sem nos encontrar.
Depois vem o tempo outra vez, e o que mais queremos dele é a liberdade,
seguir outro caminho, com amor, carinho e verdade.
Amor daqueles sem ensaios, sem copias, mentiras e frases feitas.
Amor aquele com olhares se encontrando, com bochechas vermelhas e lábios lapidando um sorriso sincero.
E então, venha quanto tempo quiser, serão os mesmos olhares e o mesmo sorriso para a mesma pessoa, cada dia mais intenso, mais verdadeiro, e com muito mais amor.

Joice Inácio, 16 de Maio de 2011.