29 de julho de 2011

Adormecer.


Nem ouvir, nem falar,
sem sorrir, sem chorar.
Não olhar pra trás, nem olhar pra frente.
Hoje é dia de encarar o céu,
escutar apenas o que o seu silêncio quer dizer,
sem fechar os olhos, sem interromper.
No fundo nada vai bastar, nem passar...
Mas aposto minhas fichas naquele segundo eterno,
e adormeço em pensamento de olhos bem abertos.

Joice Inácio, 29 de Julho de 2011.

27 de julho de 2011

é preciso,


Eu tenho medo do rumo dos passos,
quando não sabem por onde andar.
Tenho medo do tempo que se foi
e do que ainda vai passar.
Eu choro porque as indecisões persistem,
porque o tempo não para e as escolhas existem.
Eu caminho porque é preciso,
mas nem sempre sei aonde estou indo.

Joice Inácio, 22 de Julho de 2011.