20 de dezembro de 2011

Detalhes


Entre as paredes frias do apartamento mudo,
se aqueciam em corpos ferventes e detalhes ocultos,
tão curtos que passavam até despercebidos
por entre os toques e olhares desinibidos.
Os lábios úmidos convidavam o beijo quente,
enquanto os olhos permaneciam quietos, imóveis, estudando a presa
sem pressa esperando a hora certa já sabendo o que fazer.
As mãos se confundiam entre si e se perdiam por caminhos intocáveis,
num toque discreto, quase que secreto e suave,
mal sabiam se deveriam deslizar ou aranhar
e assim brincavam com a pele, apertos e arrepios sem planos,
nada por debaixo dos panos,
e tudo se tornou tão único,
entre as paredes finas do apartamento que fingia-se surdo.

Joice Inácio, 20 de Dezembro de 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe algumas palavras aqui: