23 de fevereiro de 2012

Bloco de notas 1


Cabeça repousada sobre o travesseiro ainda úmido por algumas marcas da luta noturna contra as lembranças. Olhos fixos encarando o teto do quarto vagamente iluminado pela luz do celular que anunciara uma nova mensagem. E no curto intervalo de uma música para outra, questionei-me: "Porque eu estava triste mesmo?". E sem nenhuma respostas aparente, a escuridão se refez, sem querer raciocinar a questão, os olhos se fecharam e uma nova música invadiu os fones de ouvido. Não estava mais triste. E isso bastava.

Joice Inácio, 23 de Fevereiro de 2012.


Madrugada.

Um comentário:

Deixe algumas palavras aqui: