4 de fevereiro de 2012

Reflexo(ão).


Hoje enquanto escovava os cabelos de frente para o espelho, notei que havia algo diferente naquela figura que me encarava imóvel sem expressão, apenas um rosto no qual não se notara mais sinal algum, esboçava apenas uma dúvida quase invisível, porém percebida e questionada: “O que esta acontecendo comigo?” E uma resposta sem vós calou-me. Alguns trágicos segundos depois, a mascara de cílios me fez ficar cara a cara com a figura muda quase invisível, olhando bem no fundo dos seus olhos castanhos sem brilho.
Quero dizer que estou com medo, que me considerava tão forte, quero desmoronar, quero chorar até amanhã e cometer esse ato de fraqueza justa contra meu próprio reflexo imóvel no espelho. Estou confusa, porque estou agindo assim? Não estou ferindo pessoas, estou ferindo a mim mesma, mas não quero me machucar já fizeram muito isso comigo, não sei se agora eu mereço, a cada dia que passa vejo o tempo me levando pra longe das pessoas e poucas vezes me aproximando de outras.
Já vi a vida mudar tantas vezes, até chegar a conclusão de que a vida sempre permaneceu igual, então devo dizer que já vi as pessoas mudarem tantas vezes, e eu mesma sou uma dessas, tentando todo esse tempo, ser diferente, ser especial de alguma forma, mas aqui estou, me sentindo frágil e deprimida esfregando meus sentimentos na tela de um computador como se isso pudesse amenizar a minha dor, que já não tem um ponto fixo de partida.
Eu realmente não consigo entender o que esta acontecendo, eu estava me sentindo ótima, forte, segura, mulher, mas as coisas que fiz me sentindo assim já não sei se podem servir de motivo de orgulho de coragem e determinação ao lutar por aquilo que deseja, usando métodos validos, porém nada honestos, agora vejo que a minha primeira lição de coragem deveria ser a sinceridade que usei do modo errado, agora enxergo que ser forte, requer também reconhecer os erros e aprender a conviver com eles.
Acho que estou começando a entender e a esclarecer a minha dúvida, no reflexo não vejo mais nenhum sinal de medo e sim uma paz serena que ainda não esta completa, mas que um dia estará.
Eis por fim que ser Joice é isso e mais um tudo, montando o próprio quebra-cabeça sozinha todos os dias com peças novas que alteram a ordem das antigas.

Joice Inácio, 09 de Janeiro de 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe algumas palavras aqui: