26 de fevereiro de 2012

Bloco de notas 2


Eu gostaria que ele entendesse o meu ponto de vista. 
Mas por fim entendi que os olhos eram dele.

Joice Inácio, 26 de Fevereiro de 2012. 
02:45.

Descobri que,


Se eu pudesse voltar no tempo...

Eu recusaria.

Joice Inácio, 26 de Fevereiro de 2012.

e então eu lhe disse:


[...] mas, é que ninguém sabe o que o amanhã trará, e "Pra Sempre" é muito tempo, tanto tempo que ninguém nunca soube calcular. Não quero destruir suas esperanças, mas é porque eu já vi o "Eterno" ter fim.
Então não me prometa o amanhã, se mal pode me emprestar o hoje.

Joice Inácio, 26 de Fevereiro de 2012.

23 de fevereiro de 2012

Bloco de notas 1


Cabeça repousada sobre o travesseiro ainda úmido por algumas marcas da luta noturna contra as lembranças. Olhos fixos encarando o teto do quarto vagamente iluminado pela luz do celular que anunciara uma nova mensagem. E no curto intervalo de uma música para outra, questionei-me: "Porque eu estava triste mesmo?". E sem nenhuma respostas aparente, a escuridão se refez, sem querer raciocinar a questão, os olhos se fecharam e uma nova música invadiu os fones de ouvido. Não estava mais triste. E isso bastava.

Joice Inácio, 23 de Fevereiro de 2012.


Madrugada.

22 de fevereiro de 2012

Momentos.


Certa vez, em uma conversa, um amigo me disse que vários momentos de alegria formavam uma única felicidade. Eu discordei. Acredito que cada momento de alegria é uma felicidade única.

Joice Inácio, 21 de Fevereiro de 2012.

Amor, individual.


O certo é que se você diz que ama, então você ama. 
Da sua maneira de amar, e mesmo que ela não seja aceita, 
continuará sendo amor, porque ninguém avisou que havia um padrão.

Joice Inácio, 21 de Fevereiro de 2012.

21 de fevereiro de 2012

Ele, por mim.


Seus olhos cor de mel, enxergavam um mundo azul. Seus lábios doces transmitiam o sabor da vida com gosto de sonho. E quando o meu céu se enchia de escuridão, seus toques quase imperceptíveis como estrelas distantes e intocáveis abriam um caminho de luz. Dentro dele, pequenos pedaços de vida ainda incompletos, esperando o molde certo no tempo exato, exalando um perfume inocente, o libido, o pudor e o não-pudor em seu aroma. Mais profundo do que meus olhos podiam ver, mais real do que meu coração esperava, mais subentendido do que deveria ficar. Ele, por mim, Menino-Homem, pessoa, sonho, luz e vida, se preparando para ver através e além de qualquer apagão.

Joice Inácio, 21 de Fevereiro de 2012.


"Relaxe e viva. Ninguém fica só, a não ser que queira." M.J. (Ele).

8 de fevereiro de 2012

-


Sabe, ás vezes é tão inevitável... 
Auto-controle preciso de ti.

Joice Inácio, 08 de Fevereiro de 2012.

-


E com o tempo fui aprendendo a trocar palavras como: "sempre", "nunca" e "eu te amo",
por outras mais verdadeiras como: "deixa ser" e "eu gosto de te ter ao meu lado".
Não tão fortes e até com o mesmo significado, 
porém com uma dose maior de realidade e uma menor de dor. 

Joice Inácio, 08 de Fevereiro de 2012.

7 de fevereiro de 2012

-


Parece não fazer sentido essa falta que sinto de simplesmente te tocar.

Joice Inácio, 07 de Fevereiro de 2012.

4 de fevereiro de 2012

Desaba(r)(fo).


Eu não sei o que dizer, não sei se bebi mais do que deveria, ou menos. São tantos pensamentos mistos para um único sábado a noite aguentar, e na verdade eu não sei nem o que vim fazer aqui, talvez eu tivesse alguma coisa para dizer, mas ela deve ter ser perdido junto com tudo que só por hoje eu fiz questão de não lembrar. Me sinto só, mas ha pessoas em casa, talvez não seja falta de outros corpos, mas sim de outras almas. Não chorei, mas foi por pouco, tão pouco que preferi o silêncio a lágrimas e me guardei calada com mais um copo, eu sei que não é por isso que estou me confundindo é porque na verdade ha tantas coisas dentro de mim que já não sei distinguir o que estou sentindo, ha vazios e também a farturas, estaria eu doente então? doente da alma. Deveria eu então sentir dores? talvez não, talvez seja necessário apenas o silêncio e um pouco de paz. Ás vezes reclamo do vazio, porque é tão vazio, mas ao mesmo tempo é tão acolhedor, me traz memórias, saudades e alguns sonhos que eu mesma esquecia de sonhar. Percebo que não sou transparente, acabei de sorrir e foi verdadeiro. Estaria eu doente então? talvez não, talvez eu apenas estava precisando desaba(r)(far). Retorno a um mundo paralelo toda vez que não me acho, e escrevo, e escrevo, e escrevo para me manter lá, sinto medo mas nunca me perco sempre sei como voltar, mas nem sempre quero.

Joice Inácio, 04 de Fevereiro de 2012.

-


Sinto muito que já não sinta nada

Joice Inácio, 04 de Fevereiro de 2012.

Reflexo(ão).


Hoje enquanto escovava os cabelos de frente para o espelho, notei que havia algo diferente naquela figura que me encarava imóvel sem expressão, apenas um rosto no qual não se notara mais sinal algum, esboçava apenas uma dúvida quase invisível, porém percebida e questionada: “O que esta acontecendo comigo?” E uma resposta sem vós calou-me. Alguns trágicos segundos depois, a mascara de cílios me fez ficar cara a cara com a figura muda quase invisível, olhando bem no fundo dos seus olhos castanhos sem brilho.
Quero dizer que estou com medo, que me considerava tão forte, quero desmoronar, quero chorar até amanhã e cometer esse ato de fraqueza justa contra meu próprio reflexo imóvel no espelho. Estou confusa, porque estou agindo assim? Não estou ferindo pessoas, estou ferindo a mim mesma, mas não quero me machucar já fizeram muito isso comigo, não sei se agora eu mereço, a cada dia que passa vejo o tempo me levando pra longe das pessoas e poucas vezes me aproximando de outras.
Já vi a vida mudar tantas vezes, até chegar a conclusão de que a vida sempre permaneceu igual, então devo dizer que já vi as pessoas mudarem tantas vezes, e eu mesma sou uma dessas, tentando todo esse tempo, ser diferente, ser especial de alguma forma, mas aqui estou, me sentindo frágil e deprimida esfregando meus sentimentos na tela de um computador como se isso pudesse amenizar a minha dor, que já não tem um ponto fixo de partida.
Eu realmente não consigo entender o que esta acontecendo, eu estava me sentindo ótima, forte, segura, mulher, mas as coisas que fiz me sentindo assim já não sei se podem servir de motivo de orgulho de coragem e determinação ao lutar por aquilo que deseja, usando métodos validos, porém nada honestos, agora vejo que a minha primeira lição de coragem deveria ser a sinceridade que usei do modo errado, agora enxergo que ser forte, requer também reconhecer os erros e aprender a conviver com eles.
Acho que estou começando a entender e a esclarecer a minha dúvida, no reflexo não vejo mais nenhum sinal de medo e sim uma paz serena que ainda não esta completa, mas que um dia estará.
Eis por fim que ser Joice é isso e mais um tudo, montando o próprio quebra-cabeça sozinha todos os dias com peças novas que alteram a ordem das antigas.

Joice Inácio, 09 de Janeiro de 2012.